Cinco maneiras infalíveis de se tornar um líder odiado.

Cinco maneiras infalíveis de se tornar um líder odiado.

Lideranças ditatoriais existem em todos os lugares e utilizam mecanismos que podem levar uma empresa - e o líder - à ruína

Por Eber Freitas,
No Brasil, o modelo foi derrubado no final da década de 80. No Oriente Médio e norte da África, os levantes populares contra os presidentes vitalícios estão sendo movidos a tuítes e curtidas, e cada vez mais as lideranças ditatoriais percebem que as pessoas não precisam mais de líderes absolutos, e que os modelos de gestão participativa são bem melhores do que o autoritarismo.
Nos últimos meses, o presidente líbio deposto, Muammar Gaddafi, vem enfrentando uma crise sem precedentes no seu governo que, para quem acompanha de longe, parece uma revolução súbita. Após 42 anos no poder, assistiu ao levante armado de rebeldes que, com a ajuda oportunista da OTAN, conseguiram tomar a capital Trípoli e afugentaram o então presidente, agora foragido. As atitudes de Gaddafi, mesmo durante a explosão da guerra civil, provocaram revolta até nos seus próprios ministros de governo, alguns dos quais preferiram o exílio a compactuar com as ações extremamente hostis dos aliados.
Mas não são apenas as lideranças governamentais que são tentadas a impor normas ditatoriais aos seus liderados. Esse modelo se reproduz de maneira bastante comum nas empresas, pequenas ou grandes, e pode trazer consequências mais graves do que a simples indisposição da equipe em relação ao líder: pode arruinar tanto a liderança quanto a própria empresa. "É uma ilusão, acreditar que se mantém a credibilidade pela força, isso não existe", alerta a coach e consultora Dulce Ribeiro.

Dicas para liderar melhor

  • Autodesenvolvimento – Um dos principais trabalhos do líder é construir uma equipe que aprenda a trabalhar e lidar com as novas tendências. O primeiro passo do líder que ensina é aumentar a adaptabilidade de sua empresa. Para isso, ações como diminuir a burocracia, eliminar a punição ao erro e estimular a aprendizagem contínua são fundamentais.

  • Benefícios – São uma forma de demonstrar respeito ao colaborador. As melhores empresas buscam oferecer benefícios exclusivos e personalizados, e não simplesmente o que o mercado ou a concorrência oferece. Eles tendem a ser menos paternalistas e mais voltados às reais necessidades dos funcionários.

Por que 97% do seu planejamento estratégico é uma perda de tempo

Vai ser impossível errar no seu planejamento estratégico para o próximo ano: veja 8 motivos pelos quais ele pode não funcionar, 5 características-chave de um bom processo de planejamento e 3 aspectos de líderes que o conduzem bem.
Em reuniões recentes com CEOs de várias companhias grandes e globais no setor de serviços financeiros, bens industriais e setores de produtos de consumo, ficou claro para mim que muitos líderes corporativos estão de saco cheio de seus processos de planejamento estratégico.
Sem querer ser preciosista aqui, mas já sendo, havia um consenso geral de que 97% desses esforços são uma perda de tempo, além de roubar a organização de uma energia essencial para a empresa (os 97% aos quais eles chegaram não são um dado de informação exata, mas proporcionam a você uma ideia bem apurada de como eles se sentem).
Venho observando que, enquanto a natureza da estratégia se transformou, nossos processos de planejamento não mudaram. Aqui estão oito razões pelas quais eles não funcionam:
  1. Eles não focam realmente em estratégia

A diferença entre plano e planejamento.

Antes de tudo, é importante saber a diferença entre plano e planejamentoA maioria das pessoas tem apenas planos e não ações planejadas. O plano é algo vago. As coisas ficam meio no ar, não passando de retórica e divagação poética. Não há um comprometimento maior, sendo que as maiorias dos planos acabam não sendo colocados em prática.
Entretanto, nesse mundo altamente competitivo e agressivo não podemos viver só de planos. É necessário que haja planejamento, o qual tem muito mais consistência que simples planos. Mas, o que é planejar? Planejar é pensar antes de fazer. É prever itens e ações importantes para que os objetivos propostos sejam atingidos. Podemos dizer que o planejamento é composto de objetivos menores que, se realizados, concretizam o objetivo maior.
Quando viajamos para lugares desconhecidos, ganhamos tempo e evitamos surpresas quando usamos um mapa, não é mesmo? É preferível e mais prático gastar algum tempo planejando nosso roteiro do que estar perdido ou ir pelo caminho mais longo pela falta dele.
Na nossa vida pessoal e profissional é igual. Precisamos de um “mapa” chamado planejamento. Noto que as pessoas e líderes de sucesso planejam o que vão fazer. Alguns o fazem de maneira mais formal, outros de maneira mais empírica. É claro que o planejamento não pode ser algo inflexível. Na maioria das vezes é necessário ter “rotas alternativas”, as quais atendam às novas necessidades da realidade, especialmente num ambiente de crescentes mudanças. Assim agindo, haverá mais chances na conquista dos objetivos. Lembre-se: apenas boas ideias e vontade não bastam para a conquista de resultados.
Infelizmente, muitas pessoas não têm o hábito de planejar, o que envolve a atitude de sentar e pensar mais detalhadamente naquilo que é importante para conquistar o que se quer. É notório que isso não é muito agradável nem emocionante. Muitas pessoas e profissionais preferem sair fazendo as coisas e só depois notam que esqueceram algo importante. Aliás, muitas vezes isso compromete os objetivos traçados. Também é comum descobrir que havia uma maneira muito mais eficiente e barata de fazer o que foi feito. Quantas paredes já foram erguidas e depois derrubadas por falta de planejamento? Quantos “quilômetros” extras já foram percorridos pelo mesmo motivo? Verdadeiras fortunas são desperdiçadas diariamente por falta de planejamento. Quando este não é feito, todos os custos aumentam e o retrabalho é uma constante. É comum ouvir as pessoas dizendo: “eu não tinha tempo suficiente para planejar”. Existe um dito popular que diz: “se você não tem tempo para planejar, de onde vai arrumar tempo para fazer de novo o que deu errado?” Um dos benefícios do planejamento é justamente ganhar tempo e economizar dinheiro.
Quais as desculpas para não planejar? Seguem algumas frases típicas:
  • “As mudanças são muito rápidas e os planos se tornam obsoletos instantaneamente”.
  • “Não vale a pena, pois não se sabe como será o amanhã”.
  • “Não tenho tempo para isso”.
  • “É muito chato e cansativo”.
  • “Não preciso, pois lembro tudo de cabeça”.
O planejamento é basicamente composto por sete perguntas:
  1. O QUÊ? = atividades que precisam ser feitas;
  2. POR QUÊ? = justificativa para tais atividades;
  3. ONDE? = local da ação;
  4. COMO? = maneiras de realizar tais atividades;
  5. QUANDO? = cronograma das atividades ou tarefas;
  6. QUEM? = pessoas que vão ficar responsáveis pela atividade;
  7. QUANTO? = recursos e custos necessários para a atividade.
É óbvio que formular um plano e esperar que as coisas aconteçam não basta. Mas, infelizmente, isso acontece. Conheço pessoas que planejam tudo que querem fazer, colocando tudo no papel, mas não passa disso. Apesar do seu alto nível de planejamento, tais pessoas têm baixo nível de “fazejamento”, ou seja, o verbo agir não existe no dicionário delas. Assim, o mais produtivo é planejar e agir.

Hábitos que prejudicam a sua negociação

Hábitos que prejudicam a sua negociação.


  • Aceitar opiniões e sentimentos como fatos.
  • Acreditar que a outra parte detém todo o poder.
  • Não reconhecer as próprias qualidades.
  • Fixar em uma só questão.
  • Não perceber que há mais de uma opção.
  • Achar que, para ganhar, o outro tem que perder.
  • Pensar apenas no curto prazo.
  • Exercer pressão excessiva.
  • Falar demais e ouvir de menos.
  • Negociar às pressas.
  • Ansiar demais por alguma coisa.
  • Aceitar posições como definitivas.
  • Ignorar armadilhas e truques mentais.
Para blindar essas armadilhas do cérebro e negociar com excelência, sugiro a você mudar aquela vontade dentro de si mesmo de “falar” para a de “ouvir”. Isso mesmo! Mesmo em uma negociação, faça perguntas, crie um ambiente propício, deixe seu cliente com a sensação de estar à vontade. Extraia informações e as utilize a seu favor. Pare de pensar que não vai dar certo ou de tentar impor o que seria bom para você à outra pessoa. Pergunte! E aja com segurança.

Lições Corporativas

Na África todas as manhãs, a mais lenta das gazelas acorda sabendo que deve
conseguir correr mais depressa do que o mais rápido dos leões se quiser se
manter viva. E todas as manhãs o mais lento dos leões acorda sabendo que
deve correr mais depressa do que a mais rápida das gazelas, se ele não
quiser morrer de fome.
Moral da História: Não faz diferença se você é a gazela ou o leão, quando o

sol nascer " comece a correr "!

PARA PENSAR



“Quando você tem uma meta, o que era um obstáculo passa a ser uma etapa de um de seus planos”
Gerhard Erich Boehme

Os Fundamentos de um Bom Negócio

1. Sua maior matéria prima é o conhecimento.
2. Planeje antes de fazer.
3. Você não é o cliente!
4. Seus maiores capitais são o tempo e as pessoas.
5. Vender tem que ser sua maior competência.
6. Se você e seus colaboradores não acreditam, não espere que os clientes acreditem.

Hoje, encerramos esta série com mais quatro fundamentos. Claro que dez fundamentos não esgotam o tema. Elenquei estes porque considero que dentro do universo de princípios fundamentais para que se tenha um bom negócio, estes não podem ser esquecidos.

Fundamento 7: Nenhum negócio sobreviverá na ausência de um fluxo de caixa coerente.

A obsessão do empresário por lucro faz com que se esqueça de equacionar uma questão contábil básica: o fluxo de caixa. Se este controle fundamental não for devidamente empregado, você perderá muito dinheiro, mesmo tendo muito a receber e realizando excelentes lucros. Não existe saúde financeira para uma empresa que não tenha equacionado suas entradas e saídas ao longo do tempo. Na ausência de caixa as empresas vão a óbito!

Emagrecer De Vez

Quão importante pra você seria passar na frente do espelho e, ao invés de virar o rosto, você para, se olha, dá aquela suspirada, fica de perfil e abre aquele sorriso, orgulhoso(a) do corpo que você vê no reflexo? * Quão feliz você se sentiria ao encontrar aquele amigo ou amiga sua na rua por acaso e ouvir "Nossa, você emagreceu né? Tá bem, hein?" * Quão satisfeito(a) e de bem com a vida você ficaria ao pegar aquela sua calça jeans, vestir ela e sentir que ela cabe certinho, perfeitamente como não cabia a muito tempo? Sabe quando você nota realmente que as roupas estão frouxas? Pois é... * Quão feliz você se sentiria também ao se sentir mais desejado(a) pelo marido, esposa, namorado(a), etc? * Imagine uma vida sem se preocupar com o peso, pra sempre. Pra muitas pessoas, parece ser sonho e não realidade! Mas eu me oponho a isso e digo pra você que isso tudo é possível SIM e que VOCÊ pode conquistar tudo isso antes do que espera!

Tenha mais informações! AQUI!

Tudo começou com um vestido azul!

Num bairro pobre da cidade morava uma garotinha linda. Sua mãe não era muito cuidadosa e a menina quase sempre aparecia suja na escola, com roupas velhas e maltratadas.

O professor olhava para a menina e pensava: “Como uma menina tão bonita pode ser assim, mal cuidada?“. Foi então que decidiu comprar um vestido novo para a menina. Passou na loja, viu um lindo vestido azul, comprou-o e deu-o de presente a ela que, de tanta alegria vestiu-o na mesma hora.

Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, decidiu cuidar melhor da menina, e passou a lhe dar banho todos os dias, pentear seus cabelos, cortar suas unhas, e tudo mais.
No final da semana, o pai falou:

 Mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more em um lugar como este, caindo aos pedaços? Que tal nós nos arrumarmos também e aproveitarmos para ajeitar a casa que precisa de consertos urgentes? Você cuida da parte de dentro da casa, e eu, nas horas vagas, vou pintar as paredes, consertar a cerca e plantar um jardim.

Em pouco tempo, a casa se destacava na vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e pelo cuidado em todos os detalhes. Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em casas descuidadas e resolveram também arrumar as suas casas, plantar flores, e usar toda sua criatividade. Em pouco tempo, o bairro todo estava transformado.

Um homem, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, foi até o prefeito e saiu da conversa com autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos necessários ao bairro. A rua, de barro e lama, foi substituída por asfalto e calçadas de pedra. Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania.

E tudo começou com um vestido azul!

Esta folha em branco é um “presente”.

Certo dia um professor aplicava uma prova na faculdade. Faltavam poucos minutos para terminar o horário estabelecido para finalizá-la quando um rapaz levantou o braço e perguntou:

 Professor! Pode me dar uma folha em branco, por favor?
O Professor então levou a folha até ele e perguntou-lhe porque queria mais uma folha em branco. E o aluno respondeu:

– Enquanto respondia as questões, rabisquei tudo, fiz uma confusão danada em algumas respostas, mas quero “passá-la a limpo” antes de entregá-la.

Moral da história: Todos os dias quando acordamos, recebemos da vida uma nova folha em branco. Talvez tenhamos preenchido algumas com rabiscos, confusões, tentativas frustradas, ou até deixado algumas delas em branco, quem sabe? Pode até ser que tenhamos decidido amassar algumas folhas e jogá-las na lixeira, optando pela ociosidade, gastando nosso tempo inutilmente.

Não importa a idade, condição financeira, religião, condição física… Este é o momento de tomar essa nova página em branco em nossas mãos e passar a vida a limpo. Não se preocupe em tirar nota dez ou ser o primeiro da turma; preocupe-se apenas em fazer o melhor que puder. Na redação final não poupe as palavras: dignidade, amizade, amor, fraternidade, ética, honestidade, sabedoria, esperança e fé.

Esta folha em branco é um “presente” que é lhe dado todos os dias, por isso, não a amasse nem rabisque de forma inconsequente, mas use-a com coragem e sabedoria.

É preciso "amolar o machado" todos os dias.

Certa vez, um velho lenhador, conhecido por sempre vencer os torneios que participava, foi desafiado por um outro lenhador jovem e forte para uma disputa. A competição chamou a atenção de todos os moradores da localidade. Muitos acreditavam que finalmente o velho perderia a condição de campeão dos lenhadores, em função da grande vantagem física do jovem desafiante.

 No dia marcado, os dois competidores começaram a disputa, na qual o jovem se entregou com grande energia e convicto de que seria o novo campeão. De tempos em tempos olhava para o velho e, às vezes, percebia que ele estava sentado. Pensou que o adversário estava velho demais para a disputa, e continuou cortando lenha com todo vigor.
 Ao final do prazo estipulado para a competição, foram medir a produtividade dos dois lenhadores e pasmem! O velho vencera novamente, por larga margem, aquele jovem e forte lenhador.

Como está se sentindo agora?

Sempre que o menino conversava com seu pai, reclamava de um colega de escola:
 – Pai, se eu pudesse, eu acabava com esse cara! Ele é muito “mala”! Gostaria muito que ele ficasse doente pra não ir à escola.

Quero que você jogue todo o carvão em direção à camiseta, até o último pedaço. Daqui a pouco eu volto.
Como está se sentindo agora?
– Ah, cansado, mas feliz porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa. 
Filho, vem cá. Quero te mostrar uma coisa…


Filho, você percebeu que a camisa quase não sujou, mas olhe só para você. Está imundo! Assim funciona o mal que desejamos às pessoas. Por mais que tentemos prejudicá-las ou atrapalhá-las com nossos pensamentos, palavras, atos e atitudes, a maior sujeira, os resíduos, os respingos e a fuligem ficam sempre em nós mesmos.


Seja a paz que você quer ver no mundo!

Um bem sucedido empresário gritou com um diretor da sua empresa, porque estava com raiva, naquele momento. O diretor, chegando em casa, reclamou com sua esposa, acusando-a de gastar demais, porque havia um bom e farto almoço à mesa. 

Sua esposa gritou com a empregada que quebrou um prato. A empregada chutou o cachorrinho no qual tropeçara. O cachorrinho saiu correndo e mordeu uma senhora que ia passando pela rua, porque estava atrapalhando sua saída pelo portão. 

Essa senhora foi à farmácia para tomar vacina e fazer um curativo e irritou-se com o farmacêutico, porque a vacina doeu ao ser aplicada. O farmacêutico, chegando à casa, gritou com sua mãe, porque o jantar não estava do seu agrado. 
Sua mãe, tolerante, um manancial de amor e perdão, afagou seus cabelos e beijou-o na testa, dizendo-lhe: 

As pessoas são muito mais do que os seus erros e acertos.

Quando eu ainda era criança, minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar. Eu me lembro especialmente de uma noite quando ela fez um lanche desses, depois de um dia de trabalho muito duro.

 Naquela noite, minha mãe pôs à mesa café, leite, geleia, manteiga e umas torradas muito queimadas. Eu fiquei esperando pra ver se alguém notava o fato, mas tudo o que meu pai fez foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me perguntar como tinha sido o meu dia na escola.
 Eu não sei o que respondi, mas me lembro de ficar olhando para ele lambuzando a torrada com manteiga e geleia e engolindo cada pedacinho da torrada.
 Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por haver queimado a torrada. E eu nunca esquecerei o que ele respondeu:
 – Amor, eu adoro torrada queimada…